Televendas: 11 4226-5509
WhatsApp: 11 99948-2568
INDÚSTRIA
BRASILEIRA
ATENDEMOS TODO O BRASIL
E AMÉRICA LATINA
FABRICAMOS
SOB MEDIDA
FINANCIAMOS EM
ATÉ 48x via BNDES

Medição de turbulência no ambiente magnético do planeta

Tomando como base alguns dados que foram coletados durante as missões Cluster, realizada pela ESA e THEMIS, de responsabilidade da NASA, cientistas puderam estimar pela primeira vez a quantidade de energia transferida dentro da região localizada entre o vento solar e a bolha magnética que protege o planeta Terra. Esse fenômeno acontece de grandes para pequenas escalas dentro desse invólucro magnético e o estudo revelou que esse processo se torna até cem vezes mais eficiente do que no vento solar, tendo como princípio chave a turbulência.

Ambiente magnético
Ambiente magnético

Isso acontece porque a Terra, assim como outros planetas banhados pelo vento solar, tem um fluxo supersônico de partículas carregadas e altamente energéticas, já que são liberadas pelo Sol.

Mas, seu campo magnético próprio age como um tipo de obstáculo para esse vento solar, criando uma estrutura na magnetosfera, uma bolha protetora que protege o nosso planeta da grande maioria das partículas.

No plasma do vento solar e na magnetosfera acontecem alguns processos físicos que tornam a região altamente turbulenta, além da separação entre eles, região conhecida como invólucro magnético, um tipo de área cinzenta.

De acordo com Lina Zafer Hadid, do Instituto Sueco de Física Espacial em Uppsala, Suécia, e Fouad Sahraoui, do Laboratório de Física de Plasma, na França, responsáveis pelo estudo, a turbulência contribui para a dissipação de energia de grandes escalas de centenas de milhares de quilómetros a escalas menores de um quilómetro, onde as partículas de plasma são aquecidas e aceleradas para energias mais elevadas.

Agora, com o teste da turbulência no plasma do invólucro magnético, foi possível observar que densidade e as flutuações magnéticas, causadas pela turbulência dentro do invólucro magnético, amplificam a taxa em que a energia cai de grandes e pequenas escalas em pelo menos cem vezes em relação ao que é observado no vento solar.

Com resultado, a pesquisa indica que cerca de 10-13 J de energia são transferidos por metro cúbico, a cada segundo, nesta região do ambiente magnético da Terra.

Conheça todos os equipamentos magnéticos comercializados aqui na MagTek.

Andressa Luz